De Bach a Baden PDF Imprimir E-mail

“De Bach a Baden - Um Violão bem Carioca”
Aspectos Históricos do Projeto “De Bach a Baden – Um Violão bem Carioca”
“O Violão trilhou um caminho de brasilidade e conquistou a alma da vida carioca” — parafraseando o compositor Sérgio Barboza na apresentação do Cd Solo Carioca da violonista Graça Alan.
O instrumento popularizou-se em todo o País conquistando platéias e arregimentando músicos nas ruas, nos salões, nas salas de concerto e nas universidades.
Parte da história do instrumento é delineada no Rio de Janeiro sob a égide de músicos, instrumentistas e/ou compositores de destaque que contribuíram para a divulgação e ampliação de sua literatura.


Dentre estes artistas destacamos Agustín Barrios e Heitor Villa-Lobos como os dois patronos do violão no Rio de Janeiro. Barrios, apaixonado pelo Brasil e pela musicalidadebrasileira, fez concertos no Instituto Nacional de
Música e Teatro Municipal do Rio de Janeiro viajando pelo País empunhando o instrumento e apresentando-se em salas de concertos e praças. Villa-Lobos criou uma vasta literatura para o instrumento escrevendo obras de técnica
transcendental e importância didático-pedagógica, iniciando ai uma verdadeira Escola Brasileira de Violão.
Da mesma forma, Baden Powell fez com o seu violãode ritmo afro o qual ele adaptou sobremaneira à música brasileira. Sua abordagem no instrumento, abrange as mais variadas faces da cultura musical brasileira . Com isto,
vem, portanto, dar a sua efetiva contribuição para o crescimento da literatura do violão.
“De Bach a Baden - o Violão de uma Carioca” é, de alguma forma, uma extensão do CD Solo Carioca e da Dissertação de Mestrado da violonista Graça Alan onde a artista apresenta um repertório de compositores que
atuaram e se destacaram através de sua arte no Rio de Janeiro.
A concepção do projeto está diretamente ligada à divulgação de um repertório originalmente escrito e transcrito para o instrumento e seus compositores com o objetivo de arregimentar uma platéia apreciadora da arte do violão
através da interpretação, apreciação e formação musical.
Interpretar obras de maior conhecimento do público, como Canto de Ossanha e Berimbau de BADEN POWELL, Aquarela Brasileira de ARI BARROSO, Feitiço da Vila de NOEL ROSA, Odeon de ERNESTO NAZARETH,
Trenzinho do Caipira de HEITOR VILLA-LOBOS, Lamentos e Cheguei de PIXINGUINHA, entre outras obras do CHORO e da MPB, desperta a curiosidade, funciona como um chamariz para uma platéia ouvir obras que a ele
próprio não havia sido oportunizado ouvir.
Assim este mesmo público poderá exercer o direito de apreciar e eleger o que lhe possa vir a agradar e ampliar o seu conhecimento no que se refere a apreciação da música universal.
No momento em que, no bojo de um repertório formado por composições e por compositores que o ouvinte conhece ou já ouviu falar, ele puder ouvir obras de um repertório que até então lheparecia distante, a ele poderá ser
oportunizado momentos de muita fruição, enriquecimento e ampliação do seu conhecimento musical.
Destacamos que o presente Projeto vem sendo apresentado em várias cidades brasileiras e no exterior.

Objetivos:
- Promover e oportunizar o encontro da música universal e a música brasileira nas comunidades mais distantes;
- Migrar dos recintos específicos onde se promovem periodicamente concertos e apresentações para locais onde a comunidade possa ter acesso a informação de um repertório de qualidade;
- Criar um público formador de opinião;
- Possibilitar o contato do artista com talentos da localidade;
- Despertar o gosto e a apreciação musical pela música instrumental;

Roteiro de palco para a apresentação:
- Uma cadeira plana de 45 cm
- Locais para ligar o próprio material de som da violonista: 1 microfone no instrumento, 1 mesa de 8 canais e um amplificador pequeno,
Custos para a apresentação:
- Cachê– a combinar
- Passagem aérea ida e volta do Rio de Janeiro para o local *
- Estadia e alimentação (quando a apresentação acontecer fora do Rio de Janeiro)

Programa:
Prelúdio e Allegro (J.S.Bach)
Trenzinho do Caipira e Choros Nº 1 (Heitor Villa-Lobos)
Toada (Adamo Prince)
Valsa Opus 8 Nº 4 e AllegroSinfônico (Agustin Barrios)
Dança dos Aflitos (Turíbio Santos)
The Entertainer (Scott Joplin)
Cheguei e Lamentos (Pixinguinha)
Odeon (Ernesto Nazareth)
Interrogando (João Pernambuco)
Feitiço da Vila (Noel Rosa)
Aquarela Brasileira (Ari Barroso)
Canto de Ossanhae Berimbau (Baden Powell)

 

Toca-discos da Graça

Graça Alan - faixa 01
Agustin Barrios - "Valsa Opus 8 - Nº 4" - faixa 01 do CD Solo Carioca.
Graça Alan - faixa 02
Agustin Barrios - "Choro da Saudade" - faixa 2 do CD Solo Carioca.
Graça Alan - faixa 03
Turibio Santos - "Suíte Teatro Maranhão" - faixa 3 do CD Solo Carioca.
Graça Alan - faixa 04
Guinga - "Sargento Escobar" - faixa 4 do CD Solo Carioca.
Graça Alan - faixa 05
Marcos Alan - "Três peças para violão" - faixa 5 do CD Solo Carioca.
Graça Alan - faixa 06
Ricardo Tacuchian - "Maxixando" - faixa 6 do CD Solo Carioca.
Graça Alan - faixa 07
Sergio Barboza - "Pavana" - faixa 7 do CD Solo Carioca.
Graça Alan - faixa 08
Heitor Villa-Lobos - "Prelúdio Nº 3" - faixa 8 do CD Solo Carioca.
Graça Alan - faixa 09
"Reencontro" - obra autoral de Graça Alan - faixa 9 do CD Solo Carioca.